Até onde durarmos.

Você diz que eu grito demais, mas parece não escutar meu silêncio.

Você me abraça e ao mesmo tempo coloca uma barreira.

Todas as vezes que durmo em seus braços, sinto paz e desejo.

Você instiga meus desejos e os mantém cada vez mais intensos.
Você percorre meu corpo, e sabe que nossos corpos se encaixam.

Gravo na memória todas as vezes que seu olhar para no meu.

Eu queria congelar o tempo, me perder cada vez no seu olhar e segurar mais uma vez sua mão.

Porque juntos incendiamos, mas longe nos congelamos.

Medos e pensamentos nos rodeia, o amanhã é tão incerto.

Mas não tem um dia, que eu não relembre como chegamos até aqui.

Todas nossas loucuras, todas nossas brigas.

Você me vê como eu sou, e eu vejo você, sem cortinas para nós esconder.


Eu quero ser sua lua,
E quero que você seja meu sol até onde durarmos.