Estrada perdida.

Hoje acordei e olhei pela janela a cidade silenciosa, senti uma paz coberta de cinzas, cinzas do que passou.

E sozinha eu me levanto mais uma vez, cada passo, cada respiração pertence somente a mim.

Acredito que lagrimas não curam a dor, mas aliviam a alma, assim como uma canção tem o poder de despertar, de te fazer se encontrar.

São tantas historias e pouca esperança que permanece.

Apenas você pode lutar por você mesmo, nesse mundo de papel, não se rasgue.

Acredite que você pode ser sua melhor versão.

Não tranque as janelas, deixe o vento bater e levar, e que o silêncio da cidade não cale nossa voz em tempos assim.

Nem os barulhos nos façam enlouquecer.

Apenas uma voz quero ouvir.

Apenas uma luz quero ver.

Apenas quero sentir a estranha sensação de viver mesmo estando morrendo todos os dias.

Apenas quero ver nas margens do rio, o reflexo que meu rosto aparenta agora, sentir o gosto da água.

Há tanto a sentir e me esforço em tentar, ser forte diante dessa estrada perdida em que cai.