Algo mudou.






É hora de enfrentar mais um dia que amanhece, encarar as vozes que mentem.

Os infortúnios momentos que aparecem e as horas que não cessam.

Algo na noite mudou, junto com os sentidos que expulsei com meus gritos enquanto dormia.

Algo mudou no meu jeito de olhar, a forma como deixei de sentir foram substituídas, a imensidão antes tão intensa e angustiante agora é apenas meu silêncio.

Estou sempre olhando o céu, pra reavivar tudo que morre tão rapidamente dentro de mim.
Estou sempre olhando o céu, para me sentir infinita, não quero deixar morrer essa sensação também.

As vezes sou apenas um vazio estridente, outras vezes sou infinita.

O bater silencioso do meu coração o deixa inerte.

Eu respiro, e vejo todas as imagens a minha frente, minhas certezas.

A madrugada chega, estou a olhar a lua me dizer que segundas chances são dadas a quem merece, que tenho desacreditado no que sempre carreguei.

Tento responder a ela, mas minhas palavras estão tão cansadas que apenas fecho os meus olhos, sinto as gotas caindo,o gosto salgado na minha boca. meu coração parece ter reagido dessa vez.