Aprendi a não desistir de mim.

Aprendi a não desistir de mim, em meio a tantos arrependimentos.

A lidar com os sentimentos que viviam a me atropelar.

Aprendi a não desistir de mim, mesmo quando minhas falhas eram mais apontadas que meus acertos.

Aprendi a me manter forte diante das suas tempestades, das batidas na porta, das noites em claro.

Reconheci minhas fraquezas, e percebi que estava cansada do tom da sua voz.

Cansada dos lugares que meus pés andavam, dos quadros na parede da sala.

Aprendi a não ter medo de partir, de desfazer as malas e recomeçar.

Que ficar parada olhando na mesma direção, te rouba um tempo que não volta mais.

Aprendi a não desistir de mim, mesmo quando sinto que não pertenço a este lugar.

E tudo que posso fazer por mim é preencher as cores a minha volta, tornar mais fácil minha estadia.

Respirar, respirar.

Um dia de cada vez, procurar o meu melhor.