Um dia, não hoje, apenas um dia.

Eu olhei para o horizonte.
Eu disse: quantas queda até eu voar?
Olhei para os velhos tempos.
Eu disse: quantos erros até eu acertar?
Olhei para minha vida jogada no chão.
Eu disse: quantas vidas ainda me resta, então?
Tenho olhado cada cena cuidadosamente para não repetir, os mesmos erros.
Olhei para o espelho.
Eu disse: você é a mesma de dias atrás?
O que você tem mudado sem perceber?
Tantas perguntas e razões que permanecem escondidas, e eu procuro em meio as minhas angústias.
Tantos sentimentos brigando entre si, e eu não sei como interferir.
Nem sempre a luz é meu lugar, desligo as luzes, ligo no volume máximo e me perco nas canções que nunca escrevi mas que conversam comigo tão bem.
Somente minha mente conhece as minhas batalhas.
Somente meus olhos sabem o que perdi.
Meu coração não é um bom lugar pra se estar, mesmo assim tenho tentado deixa lo com menos espinhos, menos espinhos.
Um dia suas flores não morrerão tão facilmente, poderei transforma lo num belo jardim.
Um dia, não hoje, apenas um dia.