Muros.




Por esta montanha, vi todos os muros que construí vir abaixo.

A poeira da terra embaçar meus olhos, vi amigos virarem inimigos e os covardes começarem a reagir .

Matei meu orgulho, junto com ele o medo de não ser bom o bastante.

E nessa batalha tenho lutado contra todos meus temores, com uma lâmina afiada matando as sombras que me rodeia.

Meu escudo dessa vez está firme e dessa guerra não sairei mais ferido como antes.

Hoje estou pronto para lutar e não importa o quão ruim seja o cenário a minha volta, das ruínas e memórias eu opto por reconstruir.

Meus muros se erguerão e como uma fortaleza não deixarei que caíam novamente, você pode até tentar.

Não procure em meus olhos o brilho que costumava a ver, não me toque se não pode lidar com o que sou.

Matei meu orgulho mas não meu valor.

É um longo dia, sem perguntas apenas com muitas respostas.