Mas, e o sentir...

Cada palavra dita e também as não ditas, cada intenção vista e outras despercebidas.

Foi assim que comecei a entender, e meus olhos curiosos começaram então a fotografar momentos em silêncio.

Comecei a guardar palavras e olhar mais.

Não sabemos o quanto ainda sobrou de nós de dois.

E palavras nunca serão capazes de expressar, o que meu olhar consegue te dizer.

Mas aprendi, do jeito errado, que o ponto de partida é o mesmo de chegada.

Que perdemos quando calamos nossa voz, e também quando fingimos ser, o que não somos.

Eu sempre verei além dessa cortina, que nós mesmos colocamos pra nos proteger.

Mas, e o sentir pra onde se manda?

Se é algo que se instala como um vírus, difícil de deletar.