No fundo.

Me jogo no mar, prendo minha respiração, eu não quero mais voltar a superfície.

Me deixe morar no fundo do mar, minhas lágrimas agora estão por todo lugar.

Me deixe aqui embaixo, eu posso ver ainda a luz antes de meus olhos se fecharem.

Eu acreditei que um dia, as marcas se curariam, que meus pés percorreria até onde minha mente queria.

Me afogo e adormeço no mesmo lugar que um dia me salvaria.