Certos passados.

Porque certos passados, não são esquecidos, é como aquele livro que você lê e se vê na história, e nunca esquece apesar de não mexer mais.

Ele está lá, quieto, guardado e como um vento forte ele te leva ao início da história, soprando todas suas folhas.

Não sei se manter certas memórias me torna uma covarde ou corajosa.

Mas sou assim, minha mente é uma filmadora, registra, rebobina mas nunca apaga.

Nem as piores lembranças, me salvam, porque estão lá.

Estão lá, dentro da bagunça que é minha mente..