Vagões.


E o trem continua com seus vagões vazios, e apenas a escuridão testemunha o silêncio de nossos corações inquietos.

Eu tento encontrar uma distração, que me faça parar de lembrar.

Que sou eu, a última pessoa no vagão, com destino algum me rendendo a escuridão que meus olhos já presenciam.

Esperando que uma luz me encontre, eu sei que é pedir demais.

Que alguém possa me enxergar.

Em algum momento nossa respiração deixa de fazer sentido, e quando nos damos contas, já estamos sozinhos novamente.