Há tempos...

Há tempos que olhar meu reflexo no espelho me incomoda.

Há tempos que minhas palavras se perdem na minha escrita, não fazendo sentido algum.

Há tempos que tudo me incomoda, a maldição de ver mais do que posso suportar.

Há tempos que me fecho no meu próprio casulo, poucas coisas me fazem sair, e querer olhar outras cores além das quais reúno.

Há tempos que me perco, e por um longo tempo não desejo encontrar nada.

Há tempos como esse, que sinto vontade de renascer, com um novo cenário ao meu redor, em um mundo novo do qual minha essência não seja ignorada tampouco estranhada.

Onde as cores de verdade não sejam camufladas pelo brilho artificial das coisas.

Há tempos, como hoje que eu só queria existir.