Escolher.

Eu sinto inveja da sua praticidade, da sua leveza.

É tudo ou nada, pra você tanto faz.

Eu sinto inveja da sua falsa liberdade, que o mantém aparentemente inatingível.

E mesmo quando a poeira paira sobre seu olhar, eu sei exatamente onde eles estão penetrados.

Suas palavras disfarçam o que sua mente realmente quer e está pensando.

Auto proteção talvez, ainda sim sinto inveja das escolhas que pode tomar e que simplesmente não toma.

A liberdade de uns, é a prisão de outros.

O silêncio de uns dizem tudo, enquanto a fala de outros não significam nada.

No limite entre a vida e a morte, andamos sempre em direção inconscientemente aos dois, sem saber que muitas vezes é preciso escolher o que matar e o que viver dentro de cada um de nós.