Lista riscada.


Não posso simplificar as memórias que me vem todos os dias.

Ainda fazem parte de mim, ainda me prendem.

Eu queria ir, mas não sei se estou pronta para deixar de ser quem sou e recomeçar, e se não existir outro lugar depois? e se apenas não pertenço à lugar algum?

Esse peso me corrói, e como uma lâmina quente perfurando minha alma sinto a necessidade de mudar, mudar o local, o ar , a vista ao meu redor.

Porque tudo parece poeira no ar, e já não consigo olhar nada ao meu redor.

Tudo são cinzas, e os ventos estão arrastando tudo em minha direção.

É como se quisesse me engolir com a terra.

Não posso mais me prender nas palavras, pois elas sempre foram o ponto de ida.

E desde sempre foram meu alicerce, mas um dia elas somem, ou então você descobre que elas também possuem o duplo sentido.

E principalmente que elas mentem, assim como todas as pessoas, e somente  é sincero, quando você as utiliza para dizer enfim o que senti.

Porque geralmente ouço as pessoas falarem o que realmente não queriam dizer.

Elas parecem sempre esconder quem realmente são.

Então por isso gosto de escrever, porque não minto sobre quem sou, e nem preciso fazer um falso sorriso para não ser má interpretada, porque você não tem consciência, mas tem paciência.

E minhas palavras sempre estão seguras aqui.

Por fora sou apenas um fantoche como os outros, interpretando o papel que me entregam, seja forte é tudo o que me dizem, um dia você chega lá.

Não me conhecem e acham que sabem tudo sobre mim.

Ironia da vida, você só se importa quando ganha algo em troca, aqui é assim.

Caso contrário você é só mais um nome de uma lista riscada.