Ainda resta...



Aprendemos ao nascer a aceitar sem entender, o que apenas podemos ter naquele momento.
Penso nas milhares de vidas que se vão, sem sentirem que um dia foram amadas,que não puderam usufruir das coisas que todo ser humano deveria usufruir.

Me apavoro com a quantidade de abandono que hoje existe.

A importância que não se é dada a nenhum de nós.

Luto com o que posso, e mesmo achando insuficiente procuro algo que vá além, não por mim mas sim por eles.

Eles merecem mais do que hoje posso dar.


A insanidade de uns são as covas dos outros.

Vivemos a pagar um preço pelo qual não merecemos e mesmo assim, muitos creem e esperam, já que na terra que habitamos, o bem é pouco visto, tampouco a justiça.

E mesmo assim ainda há quem espere pelo céu.


Ainda resta essa palavra chamada esperança.