Escolha...



 Não importa quantas vezes você me faça lembrar.

Porque todas as vezes que você me diz,
sinto o mesmo que sentiu, ao me dizer que o tempo não é capaz de apagar, aquilo que nós
não queremos esquecer.

Se somos nós que escolhemos por onde trilhar, porque decidir, as vezes se torna algo tão difícil?

Tudo o que um dia foi belo, depois se torna destroços quando olhado.

Como aquele velho jogo que costumávamos a jogar, o perdedor nem sempre é o que perde de fato.

E agora não existem mais aquelas palavras, e o que restou foi  tempo, para definir o que não fui capaz de decidir.