Lembro me...



Lembro de como eram as noites, as noites que nos embebedávamos da magia do amor,
de como teu corpo eu tocava suavemente, em teu ouvido suspirava com meu corpo entregue a teus braços.

De como teu lábio eu beijava de repente, sem presa, com vontade de neles permanecer quente.

Lembro me de quando o amor era mais do que paixão ou desejo, era vontade de ser e se entregar apenas para uma pessoa, lembro me de quando o amor era maior do que a satisfação, de quando o amor não era amar qualquer um.