Sem seguir



Não há como seguir, sua voz me faz parar,
E eu me imobilizo as suas decisões, me curvo as tuas palavras.

Sem seguir, eu olho teus olhos e procuro aonde errei, teus lábios me machucam, e teu olhar me apaga que qualquer mera lembrança da estrada percorrida.

Me prendo no que posso julgar de minha prisão, me culpo, me ignoro, me perco, me flagelo, não me enxergo.

Quantos sentimentos pode caber num ser tão pequeno?
Se até mesmo um ser maior não é capaz de tantos sentimentos.

O espelho apresenta uma imagem preto em branco,
Todas as palavras jogadas no chão,
E o para sempre até onde dura?

By:Anna