Aceitar...

Aceite, você não pode mudar o mundo.

Aceite, cada ser enxerga a vida de uma forma diferente de você.

Aceite, mesmo esperando o melhor, talvez isso seja somente o que você pode ter.

Aceite, é o que tenho repetido no espelho diversas vezes.

Aceitar que mesmo dando o meu melhor, talvez o que eu tanto desejo nunca esteja ao meu alcance..

Aceitar, que todo dia é um dia diferente do anterior, mesmo que pareça tão igual.

Aceitar meus limites e meus obstáculos..

Apenas aceitar!

Eu sou ....

Eu sou como uma folha, que cai da árvore e é levada com o vento para outro lugar..

Eu sou como o vento frio, que congela quem tenta se aquecer..

Eu sou a fúria e a calmaria ao mesmo tempo.

Minha alma não pode controlar esses fenômenos que me agitam..

Cuidado, ao passar por mim e querer ficar porque possuo o dom de destruir na mesma proporção de fazer durar.

Somente eu consigo conviver com todos esses elementos, e não há quem aguente o inverno como eu, nem a chama se propagando ao redor..

Porque metade de mim é a vida, e a outra metade a vontade de fazer morrer aquilo que minha mente não consegue esquecer..

Outro plano..

Eu não sei se encontrei a pessoa da qual suportará meus lamentos.

Tenho estado sozinha esses dias com meus devaneios, e tenho notado com mais clareza que realmente eu preciso estar sozinha.

Sou uma intrusa, e nunca deixei de ser porque simplesmente não faço parte de coisa alguma e isso nunca mudou durante estes anos.

Fui talvez uma ponte, e nada mais do que isso.

Não tenho medo de partir, de fechar os olhos e não abri los mais. 

Talvez em outro plano eu realmente signifique algo e minha existência possa fazer sentido..

Distantes...

Eu te olho e tento desvendar o desvio que seus olhos fazem para não me olhar.

No fim do corredor seus passos simplesmente somem, sua sombra não está mais por aqui..

E nessa insistência de decifrar essa súbita mudança, eu não o deixo partir outra vez sem me encarar.

Mãos frias, rosto pálido, voz rouca, você me diz que está tudo bem, mas não acredito, sabendo de tudo o que nos feriu..

Você se vira mais uma vez, e vai embora..

Quando estamos separados não é tão difícil, mas quando sabemos que nossos olhos se cruzarão a dor só aumenta, nessa intensa busca pelo esquecimento um do outro.

Não deixe me olhar mais uma vez seus olhos, porque neles quero mergulhar e não ha vontade maior do que me atirar.

Eu sei que você sabe e sei que evita tanto quanto eu.

Os dias se passam, e onde estamos, só nos sabemos, distantes...

Me molhar..

Hoje algumas músicas estão falando comigo, e eu me inquieto com as verdades em suas melodias.

Eu as sinto enquanto sangro, eu choro querendo paz..

Eu pego um pedaço do que ainda restou para me manter sã e em pé..

Parece cair uma chuva em mim e talvez eu precise realmente me molhar, sentir o frio, lavar minha alma, acalmar minha mente.

Talvez assim no dia seguinte, meu percurso seja menos dolorido e eu encontre tudo aquilo que eu quebrei espalhado pelo caminho.

E eu possa recomeçar sem me afogar...

A mesma..




Sempre me encontro dividida pelo passado e pelo presente.
As vezes desejo chegar logo ao fim.
É uma luta, todos os dias com meus próprios sentimentos.

Meus olhos vêem a escuridão se aproximar na mesma intensidade que vê o sol se pondo.

São tantos sentimentos que vivem trancados sem nunca se mostrar.
E por isso muitas vezes finjo não ter a chave para liberta los, porque metade de mim é o passado e a outra o presente.. 

Sem asas...

Sem asas eu tento voar,mesmo sabendo que a queda é certa e inevitável.

Ouço sua voz que antes era doce se transformar em amargura...

Tudo o que vemos, tudo o que colhemos parece não resistir mais, se a dor se torna insuportável para agir.

Para encontrar a paz que se foi, junto com nossas lembranças..

As horas parecem uma eternidade nessa colisão. 

Não quero mais chorar, não quero mais ter medo, não quero mais sentir minha alma despedaçar...

Eu preciso voar, encontrar meu lar, minha paz.

Esperar..

O que faz, enquanto está esperando?

Quais ações você toma, quando o mundo que conhecemos está desabando?

Olhando pro relógio esperando que em algum momento, alguém simplesmente te resgate.

Erramos em esperar por algo que nós não buscamos..

Quantas vezes você olhou e deixou que algo fosse embora, sem nem mesmo mudar de lugar..

A maior parte do tempo é você que sempre espera mais..
Mas não corre atrás do que talvez pudesse por mais tempo ficar.

Salvação..

Peguei a arma e não consegui atirar, apontada para minha cabeça eu tive medo e a covardia então me fez recuar.

Essa sensação de querer encontrar a morte e nela abraçar minha maldição, tem me sufocado.

Eu queria correr para longe, eu queria não existir.

Ao passar dos anos eu só vejo um fantasma me rodeando..

Nada importa se você já não é suficiente, se o que esperam de você é o que você não pode dar no momento.

Voltei para o mar, estou novamente me afogando, e eu não acredito que exista salvação para mim desta vez.

Veja bem.

Não sei quanto tempo tenho, me parece que tudo agora não faz mais sentido.

Ou só eu sinto e vejo agora?

Eu ando e vejo tudo se acabando, pessoas se transformando em seus próprios inimigos.

Uma vida sendo gerada sem sentimento algum, o amor se transformando em ódio, a paz se transformando em guerra.

Nada parece fazer sentido, enquanto uns cospem sua arrogância, muitos esperam apenas a morte.

Me pergunto aonde tudo irá parar, quando foi que deixaram de sentir?

Quando foi que se esqueceram o que é viver, quando foi que desistiram de manter a paz.

Eu, veja bem, vejo tamanha beleza com tantas pessoas vazias a destruindo.

E há quem nunca veja o céu como eu vejo, e há quem nunca se lembre de como era bom viver.