Corações artificiais.






Sou apenas mais uma estranha, vivendo num mundo moderno de corações artificiais.

O tempo que tenho está numa corda em meu bolso, não é digital.

Meus olhos enxergam números, e acima de sua cabeça sua porcentagem é grande.

Sou apenas mais uma estranha, das que sobraram nesse mundo virtual.

Sua porcentagem é grande, e satisfatória pra seu mundo, mas no meu mundo você não é real.

É a nossa diferença, você é feito de números e eu sou feita de vidas.

Mundos incompatíveis, seu coração mecânico nunca saberá as reações que nossas emoções causam.

Estão nos matando pouco a pouco, e a vida já não é a mesma, poucos corações ainda batem.

O que restou da nossa humanidade, hoje nos torna loucos.

Somos a extinção do mundo moderno.







Sermos quem realmente somos.



Chegou a hora de voltar, a sermos quem realmente somos.

Esse teatro terminou, não consigo seguir adiante com todas essas falas decoradas.

Já não quero mais falar, tampouco explicar o que restou agora de nossas vidas.

Faço desaparecer e prometo, logo não terá mais nenhuma evidência de minha existência ao seu redor.

Prometa a si mesmo, não se deixar cair, esteja forte e ciente do que é real e do que é ilusão.

Veja seu próprio cenário e faça dele seu lar, e não apenas uma linda ilustração com histórias inventadas, e rascunhos bagunçados.

Cante, use sua voz para transformar a dor de alguém em algo melhor.

Torne real seus sonhos, acenda a luz que você tem deixado se apagar.

Chegou a hora de voltar, a sermos quem realmente somos.

Você sabe seu caminho e o que precisa fazer.

Amanhã não haverá mais nenhuma lembrança minha ao seu redor, prometo.

Amanhã será um novo dia, pra reafirmar o que você deseja conquistar, pra buscar novos caminhos.

Será um novo dia, para apagar antigas memórias, deixar de lado feridas, e sorrir.

Acreditar, que você pode.

Dizer o que precisa ser dito, não engula suas palavras.

Seja livre, se permita ser quem você é.

Arranque essa sua armadura velha e limpe seu sangue, chegou a hora de ser livre.

Amanhã não serei mais sua sombra.





















Substituir lembranças.





Sabe aquele lugar?

Aquelas fotos?

Pois bem, estou deixando pra trás, junto com o tempo que passou.

Não posso continuar caminhando pelos mesmos lugares, numa tentativa de eternizar algo que não existe mais.

Assim, como não posso mais olhar as fotografias, e nem as palavras que foram escritas.

Não posso abrigar essas coisas em mim.

Não posso fazer o tempo voltar, nem dar uns minutos a mais para prolongar o que foi vivido.

Não posso fazer o passado ser o agora.

Não posso fazer suas escolhas, só posso me permitir, tirar um aprendizado do que aconteceu.

Substituir lembranças antigas por novas, esses jogos de azar me cansaram, quero encerrar esse período onde suas folhas secas voaram.

Eu quero, agora mais do que nunca.



Eu quero, agora mais do que nunca.

Eu desejo e bebo todas as verdades amarguradas de sua boca.

Sua vasta visão sobre o mundo e a mim totalmente distorcidas.

Eu quero, agora mais do que nunca.






Conhecer os segredos, sentir o gosto das bebidas que não experimentei.

Conhecer o universo sem ouvir teorias.

Quero agir ao invés de apenas sentir.

Me permitir percorrer a barreira do impossível.

Eu quero sentar sobre as nuvens enquanto elas carregam minhas memórias tristes e jorram em um outro alguém.

Eu quero, agora mais do que nunca, ser cada vez mais dona de mim mesma.

Sou real, não um fantasma alimentando se de sombras de um outro alguém que não está aqui.

Tire sua máscara e seja quem você realmente é, o baile já terminou junto com nossa última dança.

Então, volte para seu mundo real...

Eu quero, agora mais do que nunca, não ingerir essa dose de ilusão do qual você bebe pra esquecer que uma hora seu efeito tem um fim.





Caixa de histórias.



Esta é quem sou, um refrão esperando ser terminado, uma luz em meio aos meus devaneios.

Uma junção de palavras, poesias e canções.

Uma estrada sem fim, a fúria e calmaria ao mesmo tempo.

Vi tanto que não consigo sequer acreditar, que certos momentos realmente existiram.

Como um pesadelo, o passado faz questão de surgir mostrando suas feridas e suas vozes eloquente.

Essa sou eu, do jeito errado aprendi a encontrar minha força adormecida.

Estou me mantendo forte o suficiente para encarar o que tiver que vir, pois sobrevivi aos dias ruins e tenho sobrevivido dia após dia na certeza de que o agora é tudo que temos.

Meus olhos registram e minha mente processa, sempre foi assim.

uma caixa cheia de histórias, você as esqueceu comigo outra vez.

Suas memórias não são mais minhas por fim.













Oceano




Como um oceano abrigo nas minhas profundezas inúmeros sentimentos.

Poucos se arriscam a mergulhar em minhas ondas, conhecer meus submundos, minhas águas expulsam aqueles que só querem me atirar pedras e me ferir.

Você não consegue ouvir o som da maré, mesmo navegando por minhas águas, você contempla a beleza e logo em seguida esquece, esquece que eu estou por toda parte.

Nesse seu mundo tão disperso, você se perde em falsas ilusões, abriga aquilo que lhe convém.

Escreve canções, compõe melodias mas não senti nada do que sua boca diz.

Procura nos braços de outra qualquer, suas distrações, com seu sorriso bobo de galanteador.

Não cabo em pequenos vasos, sou uma maré, livre e imensa.

Nunca caberei num copo d´água, sou inteira e metades nunca me chamou atenção.


Nas minhas águas mansas eu quis te banhar, te trazer paz, mas você não quis 
repousar seu corpo em mim.

você nunca quis me conhecer de verdade.

Muros.




Por esta montanha, vi todos os muros que construí vir abaixo.

A poeira da terra embaçar meus olhos, vi amigos virarem inimigos e os covardes começarem a reagir .

Matei meu orgulho, junto com ele o medo de não ser bom o bastante.

E nessa batalha tenho lutado contra todos meus temores, com uma lâmina afiada matando as sombras que me rodeia.

Meu escudo dessa vez está firme e dessa guerra não sairei mais ferido como antes.

Hoje estou pronto para lutar e não importa o quão ruim seja o cenário a minha volta, das ruínas e memórias eu opto por reconstruir.

Meus muros se erguerão e como uma fortaleza não deixarei que caíam novamente, você pode até tentar.

Não procure em meus olhos o brilho que costumava a ver, não me toque se não pode lidar com o que sou.

Matei meu orgulho mas não meu valor.

É um longo dia, sem perguntas apenas com muitas respostas.




Somos, como uma ilha.





Somos, como uma ilha a ser descoberta, por vezes não enxergamos a olho nu nossa capacidade de mudar e finalizar questões.

Estamos tão habituados a enxergar nossos erros e defeitos, que nosso lado bom acaba sendo no meio disso tudo, escondido.

Um organismo vivo se contorcendo quando atingido.

Uma ilha a ser descoberta por alguém.

Esquecemos o passado, e fazemos pouco caso do agora que estamos vivendo.

Por vezes, alguém desperta seu melhor, restaura o brilho que seus olhos haviam perdido e a energia vital da vida já esquecida.

Por vezes, você precisa ser esse alguém e outras, você precisa que esse alguém o encontre.

As cores ficam radiante e você reage, reage ao universo de complicações, reaprende que desistir não está na lista de opções.

Quando você se fecha pro o universo, eventualmente você será esquecido por ele.

Nessa multidão de rostos, facilmente somos esquecidos.

Precisamos fazer a diferença na vida de alguém, enxergar o que ninguém mais se importa em ver.

No mundo onde os reais sentimentos são ignorados e a futilidade aclamada, é difícil encontrar pessoas com o mesmo pensamento.

Há sempre alguém por aí esquecido, precisando ser trago de volta ao mundo.

E eu me pergunto, quantas vezes fizeram isso por você?





Você tentou.

A voz da minha consciência está dizendo por fim, pra aceitar minha natureza humana.

Encarar o que não pedi, que de nada adianta temer o que já está feito.

A busca é longa, e você tentou, tentou.

Dar o melhor de si.

Você arriscou, você lutou, você tentou.

E não importa o quanto não vejam seus esforços, você sabe o que viveu, eles só querem frisar sua fraqueza, te fazer desacreditar.

Eles querem ser a borracha apagando suas vitórias, eles querem ser a tinta preta em cima do papel escrito.

Você viveu, não importa como, você aprendeu na luta e na dor o que é alcançar e também perder.

Você caminhou com seus próprios pés, nunca precisou ser sombra de alguém.

E olha só, você chegou até aqui, com tantas pedras no caminho, seus pés ainda tocam o chão.



Várias estações.




Aprendi, que meu silêncio é minha melhor ferramenta.

Evita exaustão e também confusão.

Aprendi, que meu olhar sobre as coisas tem mudado, me entorpeço com o despertar de sentimentos bons e esquivo dos que não me trazem nada.

Tenho andado como de costume pelas mesmas ruas, porém não com a mesma expectativa do dia anterior.

Gosto de me reinventar, assim como gosto de escutar a mesma canção por diversas vezes.

Nem sempre estou sintonizada na melhor estação, e meu sinal geralmente causa interferência.

Me perco nos ruídos, e entre várias estações viajo até me encontrar.

É simples e complicado.

É o que sou, numa junção.

Aprendo todos os dias, e escrevo pra não esquecer a loucura de ser quem sou.