Tudo o que antes..

Será que podemos sentir?
Tudo o que já sentimos antes.

Será que a chama que se apaga, não volta acender?

Tenho parado de procurar, e tenho aceitado mesmo descontente o que sobrou hoje, dessas páginas que eu mesma escrevi.

Nem sei se o que preciso de fato, é real..

Muitas vezes acredito que a solidão nos fortalece, e você acaba se acostumando com a bagagem que ela carrega.

Vivo na ilusão de muita coisa permanecer, esquecendo que não depende só de mim para isso ocorrer,
Talvez seja por isso que me pego relendo alguma parte desse livro, pra recordar a sensação, a sensação de me sentir viva.

É difícil....


Dizem que é difícil morrer, acredito que difícil mesmo, é viver.

Viver nos ajustando com o tempo e as mudanças rápidas que tem nos cercado.

Viver com as injustiças, viver e não mudar todo o cenário ao nosso
redor.

Viver sem enxergar o lado bom que todos nós devíamos ter.

As vezes, na verdade muitas vezes.

Acredito não haver uma saída para toda dor sentida,
Para todo o  silêncio ignorado.

Estamos vivos e estamos matando todos os dias quem um dia fomos, nossos sonhos, nossa inocência, nossa esperança.

Muitos estão se corrompendo, enquanto outros apenas estão se isolando.

E onde encontrar um porto seguro?

Todos os dias travo uma batalha, as vezes comigo mesma e outras com o mundo que vejo.

É difícil se manter em pé o tempo inteiro, alguma hora você cai.

E o que importa é como se reerguer diante de uma alma enfraquecida.

Sei que é difícil, nossa mente faz a maior parte do trabalho, nosso pensamento cria e destrói, faz nossa alma falecer ou reviver.

São tantos pensares e tanto a sentir, e tão pouca coisa a alcançar nossas mãos.

É difícil viver de certo modo, embora em muitos momentos também, viver seja algo realmente extraordinário.

das vezes...

É sempre bom rever o que te faz bem.

Muita das vezes não precisamos de tanto tempo para nos sentirmos livres, bem, para estarmos com quem desejamos.

Somos nós que determinamos nosso próprio tempo, nos permitirmos então viver ou deixar que se vá sem sentir.

Alguns sentimentos não morrem, como algumas lembranças e certezas, apenas escolhemos esconde las de nos mesmos diversas vezes.

Mas quando o esconderijo se revela e nos traz tudo o que permaneceu esquecido, entendemos que simplesmente nem o tempo e nem nós mesmos conseguimos comandar tudo.

Nunca vou conseguir explicar tão detalhadamente certos momentos e palavras.

As vezes para que a dor não nos atinja tanto é preciso que ela adormeça.

Para que o amanhã continue a chegar é preciso deixar que ontem não nos prenda ao passado embora ele sempre fique a nos rodear.

Eu vivo muitos déjà vu , pareço sempre reviver certos momentos que só existem agora na minha mente, é como um refúgio quando a realidade me parece dura e amarga demais para se viver.

Nosso tempo nunca é o mesmo.


Não espere que a vida te tire os segundos a mais para correr atrás.

Não espere pra perder o que você pode sempre reconquistar.

Não espere que façam por você o que só você pode fazer.

Não temos todo o tempo que imaginamos ter, as vezes o tempo é somente uma ilusão que nos faz adiar o que não temos coragem de fazer agora.

Deixamos pra depois sem se quer perceber que o depois pode não existir, que o depois já não é o agora, que o depois se esquece, se apaga.

Possuímos tempos diferentes, enquanto eu acordo, você esta dormindo em algum canto desse imenso universo em que vivemos.

Enquanto muitos estão morrendo, novas vidas estão nascendo..

Nosso tempo nunca é o mesmo.

Ao menos por um tempo.

Quando os sorrisos se transformam em lágrimas, minha alma se dilacera.

Eu sinto dor, eu sinto o medo pairando sobre minha cabeça.

Meus sentimentos se isolam de tudo o que um dia foi bom e se apega aos que ainda me restaram cicatrizes.

Congelo  meu tempo, para sentir e me afogar dentro do meu lago negro.

Há momentos assim que sinto que posso tudo e outros que nada posso.

Devia me importa menos, viver um dia de cada vez, não Premeditar o amanhã..

Deixar me ser livre ao menos por um tempo.

Você sempre...


Meu sorriso muitas vezes apenas camufla minha dor e minha atual realidade.

Vivemos nos escondendo e nos apegando a linha de fuga que nos abastece.

E quando nada resta a não ser nossa verdade, você esta sozinho.
Completamente sozinho com suas idéias e sentidos..

Pode parecer fácil as vezes me convencer, mas a verdade é que você nunca chegou lá.

Você nunca vai estar onde eu estou, suas palavras e gestos decorados são tão artificiais, assim como seus sentimentos sem razão alguma.

Finja apenas ter vencido porque na realidade você sempre esta perdendo.

Sonhos.


Só eu sei, a estrada que percorri e os sonhos que desfiz.

Nessa longa jornada, provei o gosto mais amargo das decepções.

Vivi o inferno e o céu ao mesmo tempo.

Cada um carrega o peso de si mesmo, e venho carregando minha sombra desde então.

Em um momento de nossas vidas finalmente aceitamos nosso papel e permanecemos aonde nos encontramos.

Sonhos são deixados, como alguns sentimentos também.

Se você nunca esteve preso, se suas asas sempre puderam voar, não diga a um aprisionado para sonhar.

Não diga para viver a vida que você tem,
Se o caminho é o oposto.

Quando não se senti e nem se vê, é fácil dizer que sonhos são bons para se sonhar, mas quando se passa muito tempo lidando com a parte dura da realidade eles são mais faceis ainda de serem descartados.

Aproveite seus sonhos, enquanto puder.

Mantenha seu espírito vivo, sinta a liberdade.

Os mortos já se foram, deixe que seus sonhos morram com eles.

Um Caminho...



Eu relembro e quanto mais corro pareço não sair desta estrada sinalizando minha solidão.

Essa falsa ilusão que vivemos acreditando que vamos sempre poder escolher o caminho, nos cega.

Com nossas bagagens desgastadas, Na rodovia você se joga ao que aparecer, você precisa se sentir forte por isso se acostumou a camuflar o medo.

Eu me prendo com meus pensamentos sem direção, esperando partir mas com o coração na mão.

Diga que eu não sei a dor de partir, de seguir andando sem direção sem esperar por nada.

Também caminhei muito por essas estradas, o destino simplesmente nos mostra o que talvez nunca possamos ter, e seguimos convivendo com nossas próprias sinas e sacrifícios.

Deixando que cada coisa possa seguir um caminho menos doloroso a partir daqui.

Desses temporais.




Desses temporais aprendi a me manter mesmo caindo, levanto e me seguro.


Eu abro minha dor, e a sinto tão desesperadamente esperando que ela vá embora de uma vez.

Estou aprendendo a entender os sinais, e deixando ir o que não posso fazer ficar.

Entender o tempo é difícil, dificilmente coincide com o que você quer no momento.

Eu esperei demais, o preço já pago não reduz a minha pena.

Minha identidade, minha verdade ninguém vai conhecer.

Eu já vivi em toda parte, conheci muitas palavras, embora muitas delas só mudem a escrita, a tradução sempre será a mesma para quem senti.

Meu tempo.



Mesmo que eu não veja, não muda o meu sentir, mesmo que eu esteja aqui, me sinto em outro lugar.


Não preciso dizer, já tenho escrito por longos anos e meu amparo é somente aquilo que posso segurar.


Se mudo, e revivo alguma parte de mim é porque preciso para prosseguir.
Se em algum desses caminhos que me perdi, você tiver me encontrado  provavelmente o terei esquecido.

Alguns rostos não me lembro mais, sou completamente distraída. Vivo constantemente no meu próprio mundo.

Estou compondo novamente mais uma canção, esperando que meus dedos consigam inventar uma melodia que possa acompanhar minha alma nessa transição de dor e alegria, já que elas têm sido minhas companheiras desde então..

Estou vivendo neste momento, no que posso me segurar.